Pizza napolitana pode virar patrimônio da humanidade | Prime Pizzas Pizza - Pizza Entrega - Pizza Delivery - Pizza Campinas - Pizza Express - Pizza Cardapio - Pizza Sabores - Pizza em Campinas - Pizza Italiana - Pizza Promoção - Disk Pizza - Pizzaria - Pizzaria Entrega - Pizzaria Delivery - Pizzaria Campinas - Pizzaria Cardapio - Pizzaria em Campinas - Pizzaria Express - Mini Pizza - Delivery - Calzone - Massa Pizza - Disk Pizza Campinas - Sabores Pizza - Entrega de Pizza - Cardapio Pizzas - Disk Entrega - Promoção Pizza - Pizza Desconto

Slide background
Slide background
Slide background
Slide background
Slide background
Slide background
Slide background
Slide background
Slide background



Pizza napolitana pode virar patrimônio da humanidade. Um documento que pede o reconhecimento à Unesco já foi assinado por 30 mil pessoas.

Prato fundamental da gastronomia italiana e autêntico emblema do país, a pizza napolitana quer agora se tornar Patrimônio da Humanidade. O embaixador e secretário-geral da Unesco na Itália, Lúcio Alberto Savoia, recebeu nesta terça-feira 30 mil assinaturas que pedem que o órgão dê à pizza esse reconhecimento. Promovida pelo ex-ministro de Agricultura e Meio Ambiente Alfonso Pecoraro Scanio, esta reivindicação surgiu em setembro a partir de um abaixo-assinado publicado na página change org, colhendo rapidamente o apoio de milhares de internautas.

“Perseguimos que se reconheça a pizza como patrimônio da humanidade porque constitui uma parte elementar do ‘Made in Italy’ e da cultura deste país”, explicou Pecoraro Scanio.

O ex-ministro justificou a necessidade de reconhecer a “arte da pizza napolitana” com este selo porque se trata de “um grande saber com mais de 200 anos de antiguidade”. A cada ano a comissão nacional da Unesco apresenta uma candidatura de bens imateriais que concorre em nível internacional para se transformar em Patrimônio da Humanidade. E esse é precisamente o objetivo do recolhimento das assinaturas: mostrar o apoio dos cidadãos para que a pizza napolitana e a arte de prepará-la seja a escolhida em 2016.

Caso conquiste esse reconhecimento, a pizza napolitana se unirá a outros bens imateriais italianos já catalogados como Patrimônio da Humanidade, como as obras de marionetes sicilianas, o canto dos cantores sardos, a arte do violino de Cremona e os passos das procissões religiosas.

Pecoraro Scanio destacou também que esta marca da Unesco ajudará a garantir que as pizzas de todo o mundo sejam elaboradas com produtos de origem italiana. Em fevereiro de 2010 a pizza napolitana foi reconhecida pela União Europeia (UE) como uma “Especialidade Tradicional Garantida” (ETG). Esta certidão, que alguns alimentos possuem, não faz referência à origem do produto, mas destaca uma composição ou um modo de produção tradicional.

A pizza napolitana, segundo a UE, deve apresentar um diâmetro de no máximo 35 centímetros e a massa deve pesar entre 180 e 250 gramas. Ela deve ser assada a 485 graus para chegar a uma consistência suave e elástica, a espessura na parte central não deve ter mais do que 0,4 centímetros, e as bordas, douradas, no máximo 1 a 2 centímetros.

O evento serviu também para o presidente da Associação de Pizzaiolos de Nápoles, Sergio Miccù, reivindicar a necessidade de a elaboração da pizza ser regrada em escolas de formação. “Os pizzaiolos serão os embaixadores desta arte no mundo todo”. Os promotores da iniciativa percorrem a Itália nas próximas semanas para conquistar apoios.

Poderá também gostar de:

Categories: Pizza

.